O País da América Latina com grande previsão de crescimento para 2021

O País da América Latina com grande previsão de crescimento para 2021

Em 2020, aconteceu a maior crise econômica da América Latina das últimas décadas. Agora em 2021 haverá recuperações econômicas sem preliminares, desde que a pandemia se mantenha sobre contenção.

As quedas econômicas na américa latina em 2020 foi tão alta, em meio à pandemia, que recuperações históricas são aguardado para 2021.

Porém: isso não quer dizer um grande crescimento econômico que indica um período de vacas gordas mais a frente.

a verdade, é que o esperado seja um efeito rebote ou seja, um grande aumento do PIB, na maioria dos países dessas regiões, que neutralizara boa parte do cenário atual. É uma reabilitação econômica por parte em relação a um resultado grande e negativo de 2020.

A economia do Peru, fechou o ano passado com uma queda brutal de 14%, e em 2021 vai crescer cerca de 10%, de acordo com as últimas postagens da Comissão Econômica.

Isso indica que mesmo com uma amostra de aumento fantástico da atividade econômica, o país até lá estará longe de voltar ao nível pré-crise, uma história que se repetir em todos os países da região.

“A recuperação vai se submeter a grandes incertezas, como a situação da pandemia, a disponibilidade de vacinas, a competência dos países em manter políticas de apoio e o que ira acontecer com a economia de todos os países”.

Para este ano, a Comissão Econômica destaca uma saldo negativo histórico da economia regional de 8%, enquanto para 2021 aguarda um crescimento de 4%.

Se não haver grandes mudanças na perspectiva, podemos dizer que a América Latina atingiu o fundo do poço e agora começa um lerdo processo de recuperação.

No decorrer dessa recuperação, os três países que irão ter o maior crescimento econômico no próximo ano, segundo as pesquisas, serão: Peru (10%), Panamá (6%) e Bolívia (5,5%).

Apesar do tombo econômico destruidor da pandemia no Peru, o ministro de Economia e Finanças, informou que o país está apresentando uma recuperação “muito mais rápida” que todos os outros países da região.

Entre os motivos, ele citou a diminuição no avanço da pandemia e os efeitos dos pacotes de influxo para conter a crise econômica.

A situação é um pouco mais administrável, que permite iniciar atividades econômicas com um pouco mais de confiança e menos risco informa o Ministro.

Se a economia do Peru crescer 10% em 2021, conforme as pesquisas, será o país com maior crescimento econômico na região.

Um decorrência de rebote da economia não está dependente exclusivamente ao progresso da pandemia, mas também às circunstâncias políticas.

Há dúvida por motivos de saúde e por motivos políticos.

Caso haja investimentos privados, empregos serão criados e isso movimenta a recuperação econômica, mas se o Congresso que for eleito este ano for como o que temos agora, a ferida para a confiança será grande.

As eleições presidenciais e parlamentares estão agendadas para o dia 11 de abril e o segundo turno, caso aconteça, está previsto para junho.

No plano econômico, uma das marcas que causam expectativas para o próximo ano é que os especialistas esperam ótimos resultados no setor de mineração, em particular nos produtos como o cobre.

Porém, uma das fundamentais preocupações é o que vai acontecer com o emprego e o subemprego e como o país vai conseguir alcançar as doses das vacinas necessárias para manter o vírus em controle no país.

E no Brasil?

Ainda que não esteja entre as economias na América Latina que mais vão cair em 2020, o Brasil teve encolhimento de 5% em seu PIB no ano passado, e para 2021, a previsão é de crescimento de 3%.

“Em 2020, o corona vírus (Covid-19) marcou negativamente a o desenvolvimento da economia brasileira e um grande número de vidas”.

Camaleão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *